Da janela vê-se a lua – trecho

  (…)Quero desconhecer o âmago de cada risco derramado sobre a folha. Não, eu quero conhecer. Quero ser o inteiro âmago desconhecido de si além de âmago de ser. Bem, talvez…Em cada instante, no risco, no contraste da forma errônea e despretensiosa da não técnica, há de existir a emoção que chora, a única única….

Continue lendo

Variações e (um eu) ‘Sempre ausente’

Escrevo maços de papel nos últimos tempos. Papéis que permanecem adormecidos, repousados, distantes, imaturos como eu, pois é tempo… Esperam a incubação da primavera. E para agora, meus passos saem mais lentos do que antes, eu respiro a lentidão que o tempo pede e se dá. Sirvo cada tempo e destoo rotina, me desafino, me…

Continue lendo

Me quebrar. Valendo. – trecho

(…)Os ares são mais de cores suaves. A leveza funda-me, afunda – sou eu mergulho na rocha, na areia, na pedra, na nuvem, no algodão no pescoço, no gosto de boca, na doce ânsia de ter a vida nas mãos e soltar. É o voo sem cabimento, eu desse coração regente, regido de vento, vida,…

Continue lendo

Fome país – trecho

“Más que eso quiero pedir Y es que no sea todo para mí Sólo lo disfrutaré de verdad Si lo puedo compartir Quiero, quiero, claro que sí” (Quiero para Mi – Canticuénticos) (…)A direção leva para onde?Esse arrastar de sobrevivência, vivência louca falada entre o cheirar e o corpo que se dissolve, a cor suja…

Continue lendo

08.03.21 – Resistir

Resistir como uma garota. Resistir como uma feminista contra bolsonaro e contra a realidade política do descaso triste e bolsonarista. Resistir por saúde, por vacina e ar, por comida e moradia, por um lugar seguro para onde voltar, para onde estar. Resistir como uma garota contra a panfletagem hipócrita de bandeiras verde e amarela hasteadas…

Continue lendo

Voa Passarinho…

Voa passarinho… Leva o recado pro mundo, de que vamos resistir contra bolsonaro (presidente sem coração) e vamos resistir contra todo o descuido dele e dos seus, nós vamos resistir a essa falta de empatia e de bondade. Diz pro mundo, passarinho, que não precisamos de cloroquina ou ivermectina. Precisamos de vacina. Avisa o mundo,…

Continue lendo

Aos 17 anos

“Tudo é possível diante dos ventos contrários…” (Edgar Morin citando Vassili Grossman)Eu tinha 17 anos quando me deparei com a morte, a morte que você sente em você, a morte impossível, do cinema em cena dramática. Foi uma manhã linda de sol, sábado. Eu estava pronta para seguir para onde fosse, para cuidar, proteger, ficar…

Continue lendo

Bandeira preta na cidade do interior

Estou aqui (e não). Endereço fixo. Portão e porta, chave no carro, quarto da infância. Mas fora de casa, longe de casa. Percebi com nitidez agora o lugar onde nunca fui, onde não sou, mas estou… Estou há quase seis meses fora de casa. E, atualmente, impedida de voltar… Demorei para escrever esse texto -…

Continue lendo

Resista

Como quem dá a mão, resista.Como uma muda plantada,Como uma araucária que continua em pé,Como uma árvore depois de cortada,Um broto,Uma semente,Como uma flor no asfalto,Como um não,Como uma folha grudada no vidro, resista.Como um raio de sol que ultrapassa a nuvem, Como um segundo respiro depois que o ar acabou,Como o mergulho da gaivota,Como a…

Continue lendo