Fome país – trecho

“Más que eso quiero pedir Y es que no sea todo para mí Sólo lo disfrutaré de verdad Si lo puedo compartir Quiero, quiero, claro que sí” (Quiero para Mi – Canticuénticos) (…)A direção leva para onde?Esse arrastar de sobrevivência, vivência louca falada entre o cheirar e o corpo que se dissolve, a cor suja…

Continue lendo

08.03.21 – Resistir

Resistir como uma garota. Resistir como uma feminista contra bolsonaro e contra a realidade política do descaso triste e bolsonarista. Resistir por saúde, por vacina e ar, por comida e moradia, por um lugar seguro para onde voltar, para onde estar. Resistir como uma garota contra a panfletagem hipócrita de bandeiras verde e amarela hasteadas…

Continue lendo

Voa Passarinho…

Voa passarinho… Leva o recado pro mundo, de que vamos resistir contra bolsonaro (presidente sem coração) e vamos resistir contra todo o descuido dele e dos seus, nós vamos resistir a essa falta de empatia e de bondade. Diz pro mundo, passarinho, que não precisamos de cloroquina ou ivermectina. Precisamos de vacina. Avisa o mundo,…

Continue lendo

Aos 17 anos

“Tudo é possível diante dos ventos contrários…” (Edgar Morin citando Vassili Grossman)Eu tinha 17 anos quando me deparei com a morte, a morte que você sente em você, a morte impossível, do cinema em cena dramática. Foi uma manhã linda de sol, sábado. Eu estava pronta para seguir para onde fosse, para cuidar, proteger, ficar…

Continue lendo

Bandeira preta na cidade do interior

Estou aqui (e não). Endereço fixo. Portão e porta, chave no carro, quarto da infância. Mas fora de casa, longe de casa. Percebi com nitidez agora o lugar onde nunca fui, onde não sou, mas estou… Estou há quase seis meses fora de casa. E, atualmente, impedida de voltar… Demorei para escrever esse texto -…

Continue lendo

Resista

Como quem dá a mão, resista.Como uma muda plantada,Como uma araucária que continua em pé,Como uma árvore depois de cortada,Um broto,Uma semente,Como uma flor no asfalto,Como um não,Como uma folha grudada no vidro, resista.Como um raio de sol que ultrapassa a nuvem, Como um segundo respiro depois que o ar acabou,Como o mergulho da gaivota,Como a…

Continue lendo

O carteiro de Pablo Neruda – trecho

“Falta-me o mar. Faltam-me os pássaros. Manda-me os sons da minha casa. Vai ao jardim e deixa tocar os sinos. Primeiro grava esse repicar fininho dos sininhos pequenos quando os agita o vento, e a seguir puxa a corda do sino maior, cinco, seis vezes. Sinos, meus sinos! Não há nada que soe tanto como…

Continue lendo

Sopa de passatempo – trecho

(…)No que existiu soprando respirei-me pássaro sem asas, que sobrevoa o mergulho ao nada e então sonha… O pássaro de sonho alcança da memória o passar do tempo que balança na colher de sopa. Assopra passatempo… Cata-vento, vulcão de um pássaro que não tem bicar para dizer o que é.E o passar do tempo a…

Continue lendo

O apanhador no campo de centeio – trecho

“Entre outras coisas, você vai descobrir que não é a primeira pessoa a ficar confusa e assustada, e até enojada, pelo comportamento humano. Você não está de maneira nenhuma sozinho nesse terreno, e se sentirá estimulado e entusiasmado quando souber disso. Muitos homens, muitos mesmos, enfrentaram os mesmos problemas morais e espirituais que você está…

Continue lendo

Uma aprendizagem ou o livro dos prazeres

“Nós ainda somos moços, podemos perder tempo sem perder a vida inteira. Mas olhe para todos ao seu redor e veja o que temos feito de nós e a isso considerado vitória nossa de cada dia. Não temos amado, acima de todas as coisas. Não temos aceito o que não se entende porque não queremos…

Continue lendo